Mais de 30 mil famílias podem ter Bolsa Família suspenso ou bloqueado

Semcaspi alerta que beneficiários devem cumprir todas as condicionalidades do programa

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) divulgou, na manhã desta segunda-feira (11), que cerca de 31 mil famílias podem ter o Bolsa Família bloqueado ou suspenso por causa de descumprimento da condicionalidade da saúde, em Teresina.

Para garantir o recebimento do Bolsa Família, todas as famílias assumem o compromisso de realizar acompanhamentos de saúde, como o cartão de vacinação, serviços de pré-natal e saúde do bebê. O não cumprimento desses passos pode acarretar no bloqueio ou suspensão do repasse do Bolsa Família.

As famílias beneficiárias devem procurar o Agente Comunitário de Saúde ou Unidade Básica de Saúde (UBS) de sua região até o dia 20 de junho. Devem comparecer crianças menores de 7 anos, as mulheres de 14 a 44 anos e também as gestantes ou nutrizes. Os beneficiários devem levar o cartão do Bolsa Família, a Caderneta de Vacinação das crianças e, caso haja, das gestantes.

“É importante que as famílias cumpram a condicionalidade referente à saúde, tendo em vista que possibilita uma atenção prioritária nessa área, que é um dos objetivos do programa. Há um acompanhamento para exames de rotina, pré-natal e outros serviços necessários para preservar o bem-estar da família, que, se deixar de cumprir a condicionalidade, além de não tomar passos necessários para cuidar da saúde, também pode perder o Bolsa Família”, destaca Luíza de Marilac, gerente da GPRM.

Além da saúde, também devem ser atendidas condicionalidades da assistência social e educação. Na primeira, observa-se a frequência nos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Na educação, acompanha-se o desempenho das atividades escolares e a frequência escolar por parte das crianças e adolescentes.

“Esse é um processo rotineiro que a secretaria faz e alerta as famílias, para que tenham as condicionalidades cumpridas. Para garantir esse programa de transferência de renda, é necessário que façam o acompanhamento escolar, de saúde e pertençam aos serviços vinculados à assistência. Esses passos evitam prejuízos às famílias que tanto precisam do programa”, conclui Samuel Silveira, secretário da Semcaspi.

AZ

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Não copie nosso conteúdo. Utilize um de nosso botões de link e ajude a divulgar o site.