2 vereadores morrem e 1 fica ferido após acidente na BR-242, na Bahia

Colisão entre 2 veículos aconteceu no sábado, entre Itaberaba e Andaraí. Um deles chegou a ser atendido, mas morreu a caminho do hospital. 

alt

Colisão frontal entre veículos mata dois vereadores e deixa um ferido na BR-242 (Foto: PRF/Divulgação)

Dois vereadores da cidade de Ibicoara, no sudoeste baiano, morreram em um acidente de carro na tarde de sábado (5), na BR-242, entre os municípios de Itaberaba e Andaraí. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os vereadores voltavam de um evento parlamentar quando um outro veículo fez uma ultrapassagem e colidiu de frente com o carro dos vereadores.

Ainda segundo a PRF, Ricardo Silva Luz morreu no local da batida. O também vereador Renan de Sá Teles Pina chegou a ser atendido, mas morreu a caminho do hospital. 

Um terceiro vereador que estava no veículo, Arionildo Oliveira, foi levado para o Hospital Geral de Itaberaba, onde ficou internado por cerca de duas horas, segundo informações da unidade de saúde. Ele foi transferido para um hospital de Vitória da Conquista, mas não há informações sobre o nome da unidade que o vereador foi encaminhado.
 
Fonte: Globo.com

Jôve solicita meia entrada para deficientes

alt

Jove Oliveira apresentou nesta quinta (03), emenda parlamentar, à lei que beneficia com a meia entrada alunos e professores, que sejam beneficiados também deficientes e pede ainda expedição gratuita para universitários, haja visto, que o município já distribui as carteirinhas gratuitamente para os estudantes da rede pública de ensino, agora ela pede que seja estendida também para rede privada de ensino, universitários e deficientes. 
 
A parlamentar destacou também, a alegria em conviver 15 meses com o vereador William da Loto como é chamado carinhosamente, que agora com a volta do vereador Reynolds àquela casa, deixará o parlamento. O vereador vai aguardar uma nova oportunidade, já que é suplente. Vale salientar, que o vereador William, durante todo esse tempo que esteve na Câmara protocolou vários requerimentos e muitos atendidos pelo Prefeito Municipal, Odival Andrade.
 
Outro problema que a vereadora destacou na tribuna, foi o problema da água na comunidade Palmeiras dos Urquizas, Morcego e Vaquejador. Os moradores ligaram para a vereadora pedindo sua ajuda, ela como vereadora atuante, levará o caso ao prefeito municipal, que deverá encontrar a solução em breve, já que envolve um novo poço tubular, de acordo com a comunidade a água do atual poço está imprópria para o consumo.
alt
alt
alt
alt
 

Morre no Rio o ator José Wilker

alt

O ator José Wilker, de 66 anos, morreu esta manhã em sua casa, no Rio de Janeiro, vitima de um infarto fulminante enquanto dormia. Ele deixa as filhas Isabel, Mariana e Madá Wilker. 

Ipea admite erro em pesquisa que apontou que maioria dos brasileiros apoiava ataques a mulheres

alt
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) anunciou nesta sexta-feira que está errada a informação de que 65% dos brasileiros concordariam total ou parcialmente com a ideia de que mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas. Na verdade, o percentual correto é 26%. Resultado de um levantamento divulgado pelo próprio Ipea na semana passada, o dado provocou polêmica em todo o país, levando até a presidente Dilma Rousseff a lamentá-lo publicamente, destacando que a sociedade brasileira ainda tem muito a avançar.
O erro levou o diretor de Estudos e Políticas Sociais, Rafael Guerreiro Osorio, a pedir exoneração do cargo. Ele permanecerá no instituto como pesquisador, pois é servidor concursado.
Em nota, o Ipea pediu desculpas e informou que a falha foi provocada por uma “troca de gráficos”, o que alterou os resultados de 4 dos 41 itens da pesquisa “Tolerância social à violência contra as mulheres.” Para o instituto, porém, as conclusões do levantamento continuam válidas, uma vez que as respostas a outras questões não foram alteradas. Numa delas, 58,5% dos entrevistados afirmaram concordar com a ideia de que haveria menos estupros se as mulheres soubessem como se comportar.  Como houve a troca de gráficos, o índice de 65% de concordância dizia respeito à seguinte afirmação: “Mulher que é agredida e continua com o parceiro gosta de apanhar.” Para essa afirmação, a concordância não era de 26%, como divulgado na semana passada.
Outro item da pesquisa que teve os resultados corrigidos dizia: “Em briga de marido e mulher, não se mete a colher”. Na verdade, 58,4% dos entrevistados concordaram totalmente com a afirmação, ao contrário dos 47,2% divulgados inicialmente. Os dados dessa sentença foram trocados pelos da frase: “O que acontece com o casal em casa não interessa aos outros”, cujo índice de concordância total passou de 58,4% para 47,2%.
Para o instituto, “um erro bobo”
O chefe de gabinete do instituto, Sergei Soares, lamentou o equívoco, que atribuiu “a um erro bobo”. Afinal, segundo ele, a falha ocorreu na consolidação dos dados e não na fase de análise das respostas dos entrevistados, quando são extraídos os resultados propriamente ditos.
— Duas das perguntas ficaram trocadas no Excel. É um erro bobo — afirmou o chefe de gabinete, fazendo referência ao software de planilhas de computador.
Sergei disse também que Rafael Osório não teve participação direta no erro, mas pediu exoneração por entender que cabia a ele, como diretor da área e um dos autores do texto, responder pela falha.
A pesquisa consistiu na aplicação de questionários a 3.810 pessoas, entre maio e junho de 2013, em municípios das cinco grandes regiões do país. Tão logo os resultados foram divulgados, uma onda de indignação tomou as redes sociais. Em Brasília, a jornalista Nana Queiroz lançou a campanha “Não mereço ser estuprada”, incentivando mulheres a postarem fotos sem roupa, a fim de demonstrar que vestir pouca roupa não justifica qualquer violência sexual. Ela própria posou sem camisa, cobrindo os seios com o braço, na frente do Congresso.
Ontem, ela lamentou os erros do Ipea, embora tenha registrado que ficava feliz ao saber que o número de pessoas que toleram a agressão a mulheres por causa da roupa é menor do que o originalmente divulgado. A jornalista evitou comentar os demais resultados do levantamento:
— Não confio em mais nenhum dado do Ipea. Confio é no que eu experimentei: por causa do meu protesto, recebi várias ameaças e xingamentos que comprovam que o machismo existe sim — disse Nana.
Nana diz ter recebido mais de cem ameaças de morte pelas redes sociais. Os casos estão sendo investigados pela Polícia Federal. Apesar do medo, a jornalista afirma que não deixará de defender a causa feminista:
— Vou continuar trabalhando até que 0% da população seja contra os ataques a mulheres. Não devemos nos contentar nem com os 26%. É bom saber que essa porcentagem pode ser menor do que a que foi divulgada, mas ela não deveria nem existir.
O chefe de gabinete do Ipea contou que a reação da sociedade foi acompanhada de muitas críticas ao levantamento e à metodologia da pesquisa. Segundo ele, foi isso que levou os pesquisadores a revisar todos os procedimentos.
Para secretária, índice ainda é alto
Para a secretária de Enfrentamento à Violência da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Aparecida Gonçalves, esse dado é revelador do machismo na sociedade brasileira. De um lado, ela considerou positivo que o percentual de brasileiros que toleram agressões a mulheres por causa da roupa que elas vestem seja menor: 26% em vez de 65%. Mas ponderou que o índice de 26% permanece elevado:
— Faça as contas e veja quantas pessoas isso representa.
Na mesma linha, Sergei Soares afirmou que as conclusões gerais do levantamento continuam válidas, isto é, há uma “ambiguidade nos discursos”, conforme o texto que acompanha o levantamento. “O primado do homem sobre a mulher ainda é bastante aceito pela população, mas a violência física não é tolerada.”
— A conclusão não muda: a sociedade continua sendo machista, embora seja um machismo complexo — disse Sergei.
A professora da Universidade de Brasília (UnB) Tânia Montoro, que é especialista em questões de gênero, afirmou que as perguntas do levantamento foram mal formuladas:
— O estudo é muito tendencioso. Para se verificar como o machismo está inserido na sociedade, seria preciso verificar em que padrões ele se evidencia. A escolaridade e a profissão dos entrevistados é muito importante, e a pesquisa não levou isso em consideração. O que deveria ter sido perguntado é em que tipo de situação a mulher é mais exposta à violência: dentro do ônibus, com roupa curta? Com essas perguntas, o entrevistado teria oportunidade de responder o que realmente pensa, sem margens para outras interpretações Fonte: O globo
 

Agricultor é condenado a 150 anos de prisão por matar a família

alt 

Um agricultor de Francisco Beltrão, região sudoeste do Paraná, foi condenado a mais de 150 anos de prisão por matar seis pessoas, sendo cinco membros da família. Gilmar Reolon, 47, cometeu os crimes em 2010 e ficou três anos escondido na mata, antes de ser capturado pelo irmão.
O julgamento, realizado no Fórum de Francisco Beltrão, durou mais de dez horas e terminou na noite desta quinta-feira (3). Todos os jurados votaram pela culpa do agricultor e acataram os agravantes apresentados pela promotoria.
Reolon foi o responsável por um dos casos de violência mais chocantes do sudoeste do Paraná. Em dezembro de 2009, ele matou o pai, de 69 anos, com uma máquina roçadeira. Quando foi preso, disse que tinha cometido o ato por vingança, porque quando pequeno o pai “fazia coisa ruim” para ele, sem especificar. No julgamento, entretanto, ele disse que o crime ocorreu por causa de uma dívida entre eles.
Em 7 de janeiro de 2010, dias depois de matar o pai, matou a própria família a golpes de paulada. Foram mortos a esposa, de 43 anos, os filhos, de 14 e 9, e a sogra, de 84. Quando foi capturado, justificou o ato dizendo temer que a família passasse fome caso ele fosse preso pela morte do pai.
Após a chacina, Reolon tentou o suicídio atirando o carro em que estava em um rio. Como escapou com vida, voltou à casa e ateou fogo nela. Em seguida, fugiu para uma mata da região, onde passou a viver.
Nos primeiros dias na floresta, cometeu outro assassinato. Ao perambular na área rural de um município vizinho, entrou em uma casa em busca de comida. Foi visto por uma adolescente de 13 anos, que acabou morta pelo agricultor para que não o denunciasse.
Durante os três anos seguintes, a polícia desconfiou que Reolon estava vivendo na mata. Cabeças de gado desapareciam de fazendas da região e eram encontradas dias depois abatidas e com apenas um pedaço grande de carne retirado.
Em janeiro do ano passado, a Polícia Civil organizou uma força-tarefa para realizar uma busca na região. Reolon foi encontrado pelo irmão e um policial militar vivendo uma pequena barraca feita com restos de material de construção.
Fonte: Com informações do UOL
 

Missa de Sétimo dia de Josué Martins

 alt

A Família enlutada do Sr. José Josué Martins Andrade agradece a todos pela solidariedade demonstrada nesse momento de dor. Aos que trouxeram seu apoio através de palavras de conforto, de suas orações, formando uma grande corrente de carinho para com ele e pela sua família. Que Deus abençoe cada um de vocês e o nosso muito obrigado. Ao mesmo tempo, convidamos a todos para participarem da Missa de Sétimo Dia, que acontecerá sábado, dia 05, ás 19:00 h, na Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios.

Vereadora Jôve Oliveira solicitou reforma do Mercado Central



Vendo a necessidade de uma reforma no Mercado Central de Piripiri, por se tratar de um dos patrimônios matérias do município, a vereadora Jôve Oliveira solicitou, em sessão realizada ontem 03/04, da Prefeitura de Municipal que o Mercado passe por uma reforma e revitalização de suas áreas internas e externas, pois o mesmo é fonte de renda de centenas de famílias.
 

Grupo de amigos visitaram o Restaurante La Bamba


 
O Empresário Diógenes Couto, Barroso Neto, Mel Telles e Mari recentemente visitaram o empreendedor Toinho Sistema. O Restaurante La Bamba que fica próximo da Rodoviária Interestadual, disponibiliza ótimos pratos e de  uma grande variedade em bebidas.

 

Servidora flagra 4 bebês em mesmo leito de maternidade pública no Piauí


Um descaso com a saúde de recém-nascidos foi registrado nesta quarta-feira (2) por uma funcionária da Maternidade Dona Evangelina Rosa, a maior unidade neonatal pública do Piauí. A servidora fez imagens que mostram bebês dividindo o mesmo leito. Uma das fotos mostra quatro recém-nascidos dentro de um dos berços da sala RN. O espaço recebe os recém-nascidos que aguardam transferência para enfermarias, UTI Neonatal ou berçário.
Segundo a profissional, que não quis ser identificada, a situação é difícil. “Muitas crianças sadias são mantidas por até três dias no mesmo berço com outras que têm patologias, correndo risco de infecção ou até mesmo de morte. A sala RN fica superlotada de bebês sadios esperando vaga no berçário, e aqueles com patologia aguardam ser levados para a UTI, que tem apenas 20 vagas”, disse.
Ao ver as imagens dos bebês dividindo o mesmo leito, o diretor relatou que os recém-nascidos das fotos são sadios e afirmou ser comum até duas crianças dividirem o mesmo leito. “Quando temos seis partos ao mesmo tempo, não há espaços para alojar todos estes bebês. A maternidade é moldada, sua estrutura é comprometida e não tem como aumentar o número de leitos”, justificou.

Para Francisco Martins, somente a construção de outra maternidade resolverá o problema da lotação. Ele contou que no ano passado solicitou ao Ministério Público, através da promotora Claudia Seabra, que as maternidades da rede municipal realizassem mais partos e somente os casos mais graves fossem encaminhados para a Evangelina Rosa.


O diretor disse que cobrou do governador Wilson Martins, nesta quarta-feira (2), a construção da nova maternidade e que o gestor lhe garantiu que irá assinar em breve a ordem de serviço para a construção da unidade. G1
 

Rádio FM Cidade recebe a visita de parceiros


A Rádio FM Cidade de Piripiri – 97.9 sempre mantendo uma boa relação com seus parceiros recebeu durante o Programa da Mel a visita do empresario Mardônio Souza, da empresa Auto Corretora e do representante da Empresa Ortobom, Clélio Hegas. 

Agradecemos sempre a parceria!

Não copie nosso conteúdo. Utilize um de nosso botões de link e ajude a divulgar o site.